mostra b

Para esta segunda edição, mais uma vez pedimos que submetessem filmes que estivessem de alguma forma conectados ao Brasil (feitos por Brasileiros, feitos no Brasil, etc.). As videodanças ficaram disponíveis de 10 a 24 de agosto aqui nesta página e também na página do Sans Souci Fest.

Dançar para não esquecer, 2019, Campinas/SP, 6 min
Trailer
Foto em preto e branco onde vê-se parte de um corpo branco dos ombros ao pescoço que usa vestimenta de regata preta e apoia a mão direita no ombro esquerdo

Direção: Karina Almeida, Trindade Media (editor)

Coreografia: Karina Almeida

Elenco: Karina Almeida and Tutu Morasi

Música:  Rodrigo Vasconcelos

Diretor de Fotografia: Trindade Media

Cada gesto carrega lembranças que são atualizadas no aqui e agora. A presença é um presente, algo que se torna vivo a cada vez que se dança para não esquecer.

 

Corações Silenciosos (Quiet Hearts), 2020, Estados Unidos - Edição Brasil, 4 min
Trailer
Foto de uma mulher de pele clara com o corpo inclinado para trás onde vê-se seu rosto de ponta cabeça. Ela apoia a mão esquerda na lateral esquerda do rosto e a direita sobre o olho direito. A boca está entreaberta, tem nariz pequeno, olhos esteiros, sobrancelha grossa e cabelos longos lisos e castanhos. Usa um vestido longo e leve de cor bege rosada e está em um ambiente com piso de madeira com grande incidência de luz solar que entra pela direita.

Direção: Joe Mischo

Produção: Erick Turcios

Coreografia e Elenco: Stephanie Kim & Raymond Dejiofor

Música:  Robot Koch

Intérprete: Robot Koch & Delhia de France

Diretor de Fotografia:  Tamara Santos

"Enquanto nos amávamos, não precisávamos de palavras para nos fazer entender." - Albert Camus, A Peste

dolores*, 2020, São José do Rio Preto/SP, 4 min

Trailer

Foto de uma mulher em pé no meio de um grande galpão com estruturas de ferro amarronzado. Ela é uma mulher negra de cabelos curtos e escuros e usa vestido bege de alças com comprimento abaixo dos joelhos
Produção e Direção: Loretta Pelosi

Coreografia: Loretta Pelosi

Elenco: Loretta Pelosi

Música:  Desasosiego

Intérprete: Fátima Miranda

Diretor de Fotografia:  Moisés Costa

Entre fragmentos de si, despida de certezas, dolores mergulha nos aspectos do feminino. Colocar-se em estado de transformação é tirar das sombras a dor e a beleza de ser o que se é.

Rio Cor de Rosa*, 2019, NATAL/RN , 7 min

Trailer

Foto de duas pessoas de costas em um ambiente de paredes desgastadas pelo tempo, onde as paredes das laterais tem ladrilhos vermelhos e a parede do fundo é de reboco com várias marcas de infiltração e mofo. As duas pessoas estão com o braço direito apontando para a direita, a pessoa da direita tem cabelo cacheado preso em rabo de cavalo, usa terno e saia. A pessoa da esquerda tem cabelo crespo black power e usa blusa de manga longa e saia.
Direção: André Rosa

Coreografia: Clébio Oliveira

Apresentando: Companhia de Dança do Teatro Alberto Maranhão

Elenco: André Rosa, Gabriela Gorges, Gustavo Santos, Juarez Moniz, Julia Vasques, Marghot Lima, Tatyelli Raulino, Will Gomes

Música:  Wim Mertens / Terje Isungeset / Antony And The Johnis / Electric President / Glen Hansard e Marketa Iglova

Diretor de Fotografia:  André Rosa

A videodança Rio Cor de Rosa, é a construção de imagens que traz a dimensão, a exposição, fragmentos dos corpos e das vozes dos intérpretes, transfigurados em ações de enfrentamentos, riscos e resistências políticas. O corpo reivindica mais do que nunca o seu direito à intervenção e alteração, ele é ação em constante movimento, em busca de diferentes espaços, mesmo que este sofra com as marcas do passado. As lembranças nos conduzem às nossas antigas moradias, dores internas, sorrisos externos, violências psíquicas e outros trajetos. A cada lugar, um novo rio e diferentes águas

ASTIGMA*, 2019, Goiânia/go, 9 min

Trailer

Foto em cores frias em um ambiente com parede de ripas escuras. Ao centro uma mulher magra de pele clara com cabelo curto loiro, tem as sobrancelhas levemente franzidas, nariz pequeno e boca fechada. Usa regata cinza e está com braços elevados com a parte de trás das mãos próximas ao rosto. Atrás dela há outra pessoa onde vê-se apenas os braços também elevados junto à mulher central.
Produção e Direção: Tainá Pompêo

Coreografia: Valesca Gonçalves

Apresentando: Flores de goya

Elenco: Vanessa Oliveira, Loretta Pelosi, Valeska Gonçalves, Lunna Gomes, Jackeline Leal

Música: Tainá Pompêo

Diretor de Fotografia:  Tainá Pompêo

Em uma agitada noite de sono, Anna-Belle se depara com indagações inconscientes, sem saber distinguir o que é sonho e o que é realidade; o que é humano e o que é tecnológico.

Lilás, 2020, São Paulo/SP, 4 min
Foto em um quintal de chão de pedras assentadas, ao redor vários vasos de plantas e no centro um tecido branco quadrado onde há uma pessoa deitada no canto inferior esquerdo, a pessoa está com as pernas flexionadas e barriga no chão, usa camiseta verde e tem o cabelo escuro e solto. Os braços estão atrás das costas com as mãos espalmadas.
Direção: Cisco Vasques

Produção: lcreme.co

Coreografia and Elenco: Iara Medeiros

Música:  Partita for 8 Voices: No. 3, Courante

Intérprete: Roomful of Teeth

Diretor de Fotografia:  Cisco Vasques

Gesticular e acolher o templo dos sentidos,

onde se expressa uma coisa menor, mais sutil...  
De uma simples percepção da conectividade das coisas,
Um rito de vazão ao que está.

OLHAR Migrante, 2020, Brasil e Estados Unidos, 3 min
Imagem com duas fotos iguais em sequência. Através das grades de uma janela vê-se uma mulher de cabelos lisos escuros e olhos fechados, atrás dela um homem grisalho que olha para frente. Atrás deles há uma rua e ao fundo árvores e prédios, à esquerda e ao fundo há três corpos deitados na rua apoiados uns nos outros e mais ao fundo à direita outros corpos na mesma posição.
Direção: Ana Baer e Julia Ziviani

Produção: Grupo Dançaberta e Baer's Production

 Apresentando: Grupo Dançaberta e Cia Eclipse Cultura e Arte

Elenco: Ayumi Hanada, Bruno dos Santos Estevam, Casemiro de Paula Barsalini, Cléo de Paula, Danray Stephens, Fernando Vitor, Flávia Pinheiro, Hiago Ramos, Júlia Ferreira, Lais Taufic, Maicon Fidelis, Marina Vieira Farias, Renan Augusto, Robson Lourenço, Valdir Senhorinho, Victoria Travitzki, Wagner Silva, William Santos Pereira

Música: Joaquin Lopez Chas

Diretor de Fotografia: Ana Baer

Um olhar íntimo da experiência do imigrante com foco em questões de identidade, pertencimento e deslocamento através da linguagem da dança. Filmado em Campinas, Brasil, em colaboração com Dançaberta e Eclipse Cultura e Arte. 

Rua, 2019, Brasil, 3 min
Foto de uma pessoa vestida de vermelho em pé no topo de um prédio. Ela balança uma grande bandeira branca com um texto em preto onde lê-se a parte “do ato público?”. Ela tem cabelos curtos e escuros, usa blusa de manga longa e calça vermelhas e botina bege. Ao fundo há vários prédios e o céu azul.
Direção: Barbara Cunha, Mary Gatis

Coreografia e Elenco: Inae Silva

Apresentando: N/A

Música: DJ Dolores

Diretor de Fotografia:  Renato Stockler

Olhou a sala de estar
Se enxergou na prisão
Uma bela cela suspensa
Quarenta metros do chão

O azul brilhante da caixa
Vozes estranhas no ar
Entorpecendo os sentidos

Sugando todo o seu ar

A voz que emana da tela
Ordena-lhe o que fazer:
Comida, roupa, desejo,
Aonde ir, o que pensar,
Como viver, quem é você?

Ela vai pra rua
Ela quer dançar
Ela dança nua
Bota pra quebrar
Ela quebra tudo
É dona do caos
Não há gás que apague
O seu carnaval

Carcaça, 2014, Curitiba/pr, 10 min
Foto de uma mulher sentada em uma escada móvel de madeira. Ela está em uma sala com paredes amarelas e piso cinza onde há várias lascas de tinta, a escada está apoiada em uma janela na lateral direita e a mulher sentada em um dos degraus voltada para a esquerda, Ela é branca e tem os cabelos lisos e escuros presos em um coque baixo. Usa máscara branca, macacão cinza, luvas amarelas e botina preta. No último degrau da escada está uma porta branca deitada onde a mulher apoia seus pés.
Direção: Camila Carneiro, Diego Baffi, Jéssica Oliveira, Laura Formighieri

Coreografia: Diego Baffi e Laura Formighieri sob orientação de Juliana Adur

Apresentando: IMP - Investigação do Movimento Particular (corpo rotativo de performers)

Elenco: Diego Baffi e Laura Formighieri

Música: Camila Carneiro

Diretor de Fotografia: Camila Carneiro e Jéssica Oliveira

Carcaça é uma dança com uma estrutura em decomposição. Uma incursão de dois corpos dispostos a (re)habitar através do movimento um dentre milhares de edifícios abandonados nas cidades. Uma dança que investiga as memórias impressas na arquitetura e, tal qual palimpsesto, impregna-se das camadas de ausência que revela.

Ventana, 2020, Belo horizonte/mg, 3 min
Trailer
Foto com luz amena onde vê-se a silhueta de uma pessoa atrás de uma janela de vidro, ela está com braços elevados e mãos apoiadas na janela. Nas laterais há feixes de luz em formato quadrado nas cores branca e amarela, sobrepostos à imagem há círculos translúcidos em tons amarelados.

Produção e Direção: Luísa Machala

Coreografia: Luísa Machala

Música: Lenna Bahule

Diretor de Fotografia:  Luísa Machala; Daniel Machala

Do reflexo do vidro de lá dava pra ver a cidade em mim. A luz vazava das janelas e do meu corpo derramava desejo. O movimento esgotava aos poucos a claridade... me tornei vulto. Deixo expurgar, deixo exaurir, deixo escorrer, deixo agitar, deixo.