organização
Foto em preto e branco de Michelle Bernier, mulher de pele clara, cabelos lisos curtos escuros, sobrancelhas escuras e finas, olhos claros e tem um largo sorriso. Usa pequenos brincos brilhantes e uma vestimenta que cobre os ombros.

Michelle Bernier é uma bailarina, coreógrafa, educadora, administradora e artista de vídeo, que vive em Denver, Colorado, Estados Unidos. Ela cria, instiga, e colabora nas áreas de coreografia, improvisação, videodança e performances multimídias. Seu trabalho questiona a inevitabilidade das intersecções entre tempo-espaço, beleza, comédia, logica e historia.

Michelle recebeu seu Mestrado em Belas Artes em Coreografia e Performance pela Universidade do Colorado, de Boulder, em 2016, com ênfase em Somáticas e Mídia Digital. As áreas de sua pesquisa incluem administração de festival de videodança, produção de mídia digital e dança para recentes musicais de Hollywood, para o cinema.

Bernier se tornou a Diretora Executiva do Sans Souci Festival de Videodança em 2015, e continua trabalhando no crescimento e desenvolvimento da organização, inclusive com a introdução de uma experiência de instalação totalmente imersiva em 2018. Durante sua direção, o festival desenvolveu um Programa de Parceiros de Exibição, para trazer eventos de exibição para campis universitários por todo o país, e prosseguiu pelo Programa de Turnê Internacional no Reino Unido, Trindade e Tobago e no Brasil.

Foto em preto e branco de Julia Ziviani, mulher de pele clara, cabelos lisos curtos escuros com luzes, penteados para trás. Tem sobrancelhas escuras e finas, olhos escuros e tem um largo sorriso. Usa camisa de botão clara com estampa floral e está apoiando o braço direito no topo de uma cadeira e a mão esquerda do lado esquerdo do pescoço.

Julia Ziviani é Diretora do Grupo de Pesquisa Dançaberta desde 2000, onde concebe, dirige e realiza criações a partir do trabalho compartilhado com o grupo. Em 2021, inaugura o Espaço Dançaberta, Campinas,  um local para estudos e trocas artísticas no campo da dança, do teatro, da música, da videodança e da comunhão em múltiplas linguagens.

Inicia seus estudos em dança e artes em Belo Horizonte/MG com Ana Lúcia de Carvalho. Em São Paulo dança com o Ballet Stagium apresentando-se no Brasil, Estados Unidos, América Latina e Europa.

Atuou como bailarina, assistente de coreografia e Diretora Artística do Balé da Cidade de São Paulo (1980-1986).  

É Bacharel e Mestre pela New York University nos EUA (1987-1991). Na Europa, reside em Milão e Trieste na Itália (1992-1996), onde realiza trabalhos como bailarina e coreógrafa. Doutora pela Faculdade de Educação (2004) é Professora Titular (2014) pela Unicamp no Brasil. Atualmente docente colaboradora do Programa de Pós Graduação Artes da Cena, no Instituto de Artes da Unicamp.

Sua pesquisa artística e acadêmica busca a interface entre as diferentes abordagens somáticas, a interpretação e a criação cênica e videográfica. 

Foto em preto e branco de Ana Baer Carrillo, vê-se o perfil direito de seu corpo e está agachada atrás de uma câmera em um campo aberto. Ana é uma mulher de pele clara com cabelos escuros presos em um coque bagunçado, usa blusa de frio, calça e tênis. Apoia a mão direita na câmera que está apoiada sobre um tripé a frente de Ana.

Ana Baer Carrillo é uma coreografa de videodança Mexicana, que vive hoje nos Estados Unidos. Seu trabalho é composto por uma variedade de danças para a câmera, coreografia e performances interdisciplinares. Internacionalmente ativa desde 1990, Ana tem sido procurada por lugares como Fundação John Cage, Stadttheather Giessen, Tanz Compagnie Giessen, Universidad Michoacana de Morelia, Contra Danza, Boulder Museum of Contemporary Art, TXST Galleries, Michelle Ellsworth, e Syzygy Butoh, entre outros.

Baer Carrillo é membro fundador da Avant Media e da Merge Dance Company, e tem sido Diretora Artistica do Festival de Videodança Sans Souci, desde 2004. Em 2014, foi fundadora do grupo intercontinental e interdisciplinar, o WECreate Productions, com Heike Salzer para expandir suas explorações em site-specific na dança para a tela.

Atualmente, Ana é professora de dança e vídeo na Universidade Estadual do Texas, em San Marcos, Texas, Estados Unidos.

anabaer.com

Foto em preto e branco de Rosely Conz com o rosto levemente voltado para a esquerda. Mulher de pele clara, rosto alongado e cabelos lisos escuros presos para trás, tem sobrancelhas escuras e grossas, olhos escuros e sorri com os lábios fechados.

Rosely Conz é brasileira, bailarina, coreógrafa e professora de teatro. Começou a dançar com 6 anos de idade e o balé foi sua primeira linguagem na dança. Tem Mestrado em Belas Artes, pela Universidade do Colorado, de Boulder, Mestrado em Artes com ênfase em Artes da Cena e Bacharelado em Dança pela Universidade de Campinas, Brasil. Pelos últimos 15 anos, Rosely vem dançando e coreografando profissionalmente para companhias de dança tanto brasileiras quanto estadunidenses. Ela teve seu trabalho financiado por fundações no Brasil, como por exemplo FICC (Fundo de Apoio a Cultura de Campinas) e CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nivel Superior), e patrocinada pela Merge Dance Company da Universidade Estadual do Texas e pelo Atlas Black Box Experimental Studio em Boulder, Colorado. Colaboração é parte da filosofia de Rosely, que conduz suas parcerias com Micelle Ellsworth, Ana Baer, Julia Ziviani, Adam Sekuler, entre outros artistas incríveis.

Em 2016, Rosely trabalhou como Professora Assistente Visitante, na Universidade Estadual de Michigan e continua sua pesquisa em estratégias para interagir métodos somáticos, especialmente Ideokineses e Técnica Alexander, com balé e dança contemporânea em ensino superior.

Rosely também tem se interessado em como a dança e a coreografia podem contribuir em discussões sobre estrangeiros, imigração e alteridade.

Foto em preto e branco de Flávia Pinheiro, mulher de pele clara e cabelos longos escuros e cacheados. Tem sobrancelhas escuras e arqueadas, olhos escuros e sorri com os lábios fechados.

flávia pinheiro - bailarina, coreógrafa, produtora e facilitadora do movimento. É graduada em Dança - UNICAMP (2012 a 2017). Com formação em LMF-Liberação Miofascial pela Associação Brasileira de Rolfing®️, no ano de 2019. Realiza trabalhos autorais e pesquisa a consciência do corpo como potência na expressão e na técnica do artista da cena. Seu trabalho e pesquisa já foram financiados pelo PROAC LAB e PIBIC - CNPq. Integra o Grupo Dançaberta dirigido por Julia Ziviani, atuando como intérprete-criadora e produtora desde 2017. Como intérprete-criadora ressalta as obras: “Resvala em Silêncios” - PROAC 2017 e “Tudo tem um jeito de começar...” - PROAC LAB 2020. Integrou a equipe de produção da 1a e 2a edição Brasil do Festival Internacional de Videodança Sans Souci. Para a 3a ed. Brasil, em 2022, é coordenadora de produção do Festival.

flaviapinheiros.wordpress.com

Foto em preto e branco de Júlia Ferreira, mulher de pele clara e cabelos longos loiros e lisos. Tem as sobrancelhas finas e escuras, olhos escuros maquiados e um largo sorriso. Usa vestimenta de tecido fluido com mangas curtas que deixa o colo a mostra.

JÚLIA FERREIRA- Artista da Dança, Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena (IA/Unicamp) e Graduada em Dança pela Unicamp (Bacharel e Licenciada), desenvolveu projeto de IC financiada pela FAPESP (2015-2017), pesquisa premiada por Mérito Científico no XXIV Congresso de Iniciação Científica da Unicamp e como melhor da área no 69ª Reunião Anual da SBPC.  Integra ao Grupo Dançaberta desde 2014, compondo a equipe de produção artística e executiva e, também, como intérprete do elenco dos espetáculos infantis. Foi assistente de direção no espetáculo “Resvala em Silêncios” (2017) contemplado pelo PROAC Editais. Também integrou a equipe do Festival Internacional de Videodança Sans Souci Brasil, 1ª edição (2019) e como responsável pela parte de comunicação no Brasil na 2ª edição (2020).

Foto em preto e branco de Camilla Vicente de Cerqueira com a cabeça levemente inclinada para direita. Mulher de pele clara com cabelos na altura dos ombros, escuros e cacheados com duas mechas claras. Tem a sobrancelha escura e grossa, olhos escuros, piercing no septo e sorri com os lábios fechados. Usa alargador preto e vestimenta também preta com decote em V e estampa floral.

camilla vicente de cerqueira Aluna da graduação em Dança do Instituto de Artes da UNICAMP. Integra o grupo Dançaberta desde 2019, onde atua como intérprete-criadora e produtora cultural.  Desenvolve pesquisas em artes da cena juntamente ao “Grupo só de Hoje” desde 2021. Participou da produção das duas edições brasileiras do Festival Internacional de Videodança Sans Souci, contemplado, em 2020, pelo PROAC ICMS - neste ano, atuou também como assistente geral do Festival. Ainda em 2020, foi intérprete-criadora da videodança “Entre e sós", dirigida por Robson Lourenço. Em 2021, atuou como intérprete-criadora e produtora do espetáculo “Tudo tem um jeito de começar…”, com contribuição artística de Robson Lourenço, contemplado pelo edital PROAC Expresso LAB Nº38/2020. Integrou as equipes de produção do Unidança e do Festival do Instituto de Artes no ano de 2021. Participou do espetáculo Múltiplos Percursos, de direção de Julia Ziviani, na inauguração do Espaço Dançaberta em 2021, como intérprete-criadora e produtora.

Foto em preto e branco de Catharina Glória, mulher de pele clara e cabelos escuros longos e ondulados penteados para trás. Tem sobrancelhas escuras e finas, olhos escuros e sorri com os lábios fechados. Usa óculos de armação redonda e camisa de manga curta com decote em V.

CATHARINA GLÓRIAArtista do corpo e pesquisadora em formação pela UNICAMP, realiza projetos que buscam a intersecção entre diferentes segmentos artísticos. Suas pesquisas atravessam os campos da criação em dança e site specific; intervenções artísticas; danças para a tela; Estado e políticas públicas. Trabalha como produtora de artes da cena para grupos indepedentes, espaços culturais e em festivais de dança e teatro. Atualmente é intérprete criadora e coordenadora de produção no Grupo Dançaberta, dirigido pela Profª Drª Julia Ziviani; Na 2ª edição brasileira do Festival Internacional de Videodança Sans Souci (2020), colaborou na área de comunicação e agora em 2022 produz a área de logística do festival, além de atuar na escrita e elaboração de projetos.

FICHA TÉCNICA 

SANS SOUCI FESTIVAL OF DANCE CINEMA
Co-Direção Artística: Ana Baer e Michelle Bernier
Direção Executiva: Michelle Bernier
Apoio: Boulder Arts Commission

 

SANS SOUCI BRASIL - 3ª EDIÇÃO 
Direção Geral: Julia Ziviani
Produção no Brasil: Grupo Dançaberta
Produção nos EUA: Ana Baer, Michelle Bernier e Rosely Conz
Coordenação de Produção no Brasil: Flávia Pinheiro
Coordenação de Produção nos EUA: Michelle Bernier
Coordenação de Comunicação no Brasil: Júlia Ferreira
Comunicação nos EUA: Holly Joy e Michelle Bernier
Coordenação de Logística: Camilla Vicente
Produção de Logística: Catharina Glória
Produção de Pontos de Encontro: Catharina Glória
Produção de Acessibilidade Cultural: Isadora Ifanger
Bolsistas SAE no projeto: Eva dos Santos e Isadora Palhardi
Assistência de Produção: Beatriz Mo, Lívia Porto e Macá meu bem
Curadoria de Vídeos: Ana Baer, Julia Ziviani, Michelle Bernier, Rosely Conz e Diogo Angeli
Arte e Projeto Gráfico: Bárbara F. Nudelman
Social Media: Bárbara F. Nudelman e Júlia Ferreira
Assessoria de Imprensa: Kátia Camargo, Leila Lemes Branco-Boas Histórias Comunicação
Publicidade: Portal MUD
Intérprete de Libras: Flávia Batista
Roteirista e Narradora de Audiodescrição: Isadora Ifanger
Consultora em Audiodescrição: Ana Da Hora
Tradução Simultânea: Danielle Sass
Tradução e Revisão: Camilla Vicente, Flávia Pinheiro, Julia Ziviani e Rosely Conz
Iluminação: Chico Barganian
Assistente de Iluminação: Eduardo Albergaria
Registro e Edição de vídeo: Nina Pires
Fotografia: Dalton Yatabe
Manutenção de Infraestrutura e Cenografia: Gilberto Correa Dias
Agradecimentos: Maria Elenice Quelho Areias, Eduardo Brasil, Gilberto Correa Dias, Richard Pfister, e as pessoas que contribuíram com o Catarse.


Esta temporada é uma realização do Grupo Dançaberta, do Sans Souci Festival of Dance
Cinema e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São
Paulo através do Programa de Ação Cultural PROAC Editais.

 

DANÇABERTA - GRUPO DE PESQUISA EM DANÇA E EDUCAÇÃO SOMÁTICA - UNICAMP
Direção: Julia Ziviani
Equipe de Produção: Camilla Vicente, Catharina Glória, Eva dos Santos, Flávia Pinheiro,
Isadora Palhardi e Júlia Ferreira

logo_dancaberta_fundotransparenteazul.pn

O Dançaberta, em seus 22 anos de existência, tem se destinado à pesquisa na área de Educação Somática e à aplicabilidade de seus princípios na interpretação e criação em dança contemporânea. Dirigido pela Prof.ª Dr.ª Julia Ziviani e vinculado ao Departamento de Artes Corporais da Universidade Estadual de Campinas, o grupo utiliza como principal abordagem somática a Ideokinesis e utiliza materiais da educação somática em sua preparação e criação que, muitas vezes, acabam entrando em cena nos seus espetáculos adultos e infantis. A concepção destes espetáculos passa pela discussão e reflexão sobre a intrínseca relação entre técnica e poética nos processos de criação. Para o grupo: uma pesquisa (em dança/em educação somática) só é possível a partir do fazer – ter/termos o experimentar como base para todos os procedimentos, que se pautam primeiramente nos conhecimentos já adquiridos por cada intérprete, para que a partir desta base estes possam buscar novas propostas de estudo e trabalho. Mais recentemente, o Dançaberta também direcionou seu foco à difusão e ao compartilhamento das pesquisas e dos trabalhos produzidos pelo grupo e seus atuais e ex-integrantes em produções artísticas e acadêmicas através de escritas de artigos, oficinas, cursos, workshops e festival.