mostra II

As videodanças trazem na dramaturgia do corpo e da câmera artistas  brasileiros e de diversos países  que se conectam com o Brasil de diferentes formas e retratam  a potência da diversidade brasileira. As videodanças fazem parte da 3a edição do Festival Internacional de Videodança Sans Souci Brasil.

Greda, 2020, JUIZ DE FORA/MG, 7 min
Trailer
Greda (1).jpg

Direção artística: Cecília Cherem
Produção: Bruno Psi
Criação, composição e realização: Grupo NUN
Bailarinos: Bruno Psi, Camila Martins, Cecilia Cherem, Letícia Mello, Lucas Machado, Thais Braga, Vivian Hauck
Música: Renato da Lapa e Pedro Brum
Edição e filmagem: João Paulo Brum
Arte: Lívia Almeida
Apoio: Sala de Giz

Greda: substantivo feminino. Espécie de barro macio e absorvente, mas que pode reduzir-se a pó. Barro é coisa usada pra construir, pra moldar. É coisa que se transforma por permitir ser transformada. É coisa que lembra das possibilidades das coisas. Permanência e efemeridade em um só tempo. E esse mesmo barro pode virar lama. Lama. Que é coisa que afunda, que engole, que cessa. Faz parar de respirar. Que é que se pode com a greda, com o barro, com a lama? O que é que se pode fazer para não sermos reduzidos a pó?

Através, 2021,  campinas/SP, 5 min
Através (3).jpg

Direção Colaborativa e Roteiro: Catharina Glória, Emilia Ferrari, Giullia Kelly e Maria Palazzin
Produção Executiva: Paulo Vitor Fabri e Catharina Glória
Coreografia e Dança: Catharina Glória e Giullia Kelly
Direção de Fotografia e Montagem: Emilia Ferrari
Assistente de Direção: Yara Cordeiro
Direção de Arte: Maria Palazzin
Assistente de Arte: Natália Griguol
Figurino e Maquiagem: Mariana Berto
Trilha original: Ana Nobre

O que há através? A mente transborda - labirintos, quedas e delírios.

Este filme compõe uma série de videodanças criadas a partir de ligações telefônicas com pessoas reais, cheias de histórias e afetos durante a pandemia da COVID-19 no Brasil. O projeto foi realizado através do Programa Aluno-Artista da Universidade Estadual de Campinas/BRA.

locomotivas, 2021, RECIFE/PE, 11 min
Locomotives 1 WhatsApp_Image_2021-04-27_at_23.53.32_2.jpg

Direção e produção: Inaê Silva
Intérpretes-criadoras: Inaê Silva e Marcela Felipe
Trilha sonora e mixagem: Felipe Weinberg
Voz-intérprete e texto: Duda Brack
Saxofones e falutas: Rose Miranda
Direção de fotografia, montagem e edição: Luara Olívia
Imagens de arquivo: "Olha o frevo" (1970) de Rucker Vieira/ Fundação Joaquim Nabuco

Locomotivas é uma provocação em videoarte que trança a linha do tempo, evocando as memórias dos corpos que ferveram pelas curvas da cidade do Recife. Uma espécie de relógio que regula os ponteiros do tempo convocando imagens e histórias. Uma metáfora que fornece energia necessária para o movimento do trem, Locomotivas carrega nos corpos quantidades infindas de movimentos, avançando nos traçados percussivos da história do frevo. Sintaxe de chegadas e partidas nos provoca a viajar pelas palavras, pelos passos e movimentos dos corpos, da luz e num sobressalto musical declara-se em estado de improviso. Os corpos que em 07 de fevereiro de 1907 conheciam as mecânicas dos sonhos e dos desejos, tropeçando pelas ruas, carregados de personalidades em conflito e gozo. Brincamos com o corpo, expandimos as consciências e num voo, rasgamos um luminoso e subversivo traço na história do frevo.

 Experimento #1, 2020, porto alegre/rs, 2 min
Experiment #1 2.jpg

Direção: Christian Schneider
Direção de produção: Natália Piva Chim
Coreografia: Letícia Paranhos
Bailarina: Letícia Paranhos
Direção de fotografia: Christian Schneider

Como experienciar um lugar através da memória do nosso corpo. Partindo deste principio, este trabalho de dança contemporânea se expressa acerca das questões corporais, ligadas às vivências relação a um espaço físico. Essas relações ultrapassam as questões materiais e transbordam ideias, sentimentos, dinâmicas, ações e movimentos. A narrativa baseia-se na fusão dos conceitos de movimento cinemático sob um ponto de vista da cinematográfico.

DESEJO E NECESSIDADE, 2021, CAMPINA GRANDE/PB, 10 min
Trailer
Desejo e Necessidade Untitled_1.61.1.jpg

Direção: Milso Roberto
Produção: Cicero Alves
Coreografia: Marley Lucena
Elenco: Chico Oliveira, Regina Albuquerque, Cas Silva, Marina Barcellos, Marley Lucena, Stênio Pablo e Jessica Oliveira
Música: Quinteto da Paraíba
Direção de Fotografia: Milso Roberto

Uma família de retirantes do interior vêm a feira de Campina Grande

a procura do pai que partiu em busca de trabalho. 

Partiu dividido entre o desejo de ficar e a necessidade do sustento. 

Logo eles descobrem o turbilhão que é a vida na sociedade urbana. 

Com sua dinâmica que mói os individuos e destói aquela família já dilacerada. 

Esse é o mote do espetáculo "A FEIRA" da dramaturga LOURDES RAMALHO encenado nesse filme com a expressão corporal dos integrantes do Balé cidade de Campina Grande em uma performance que expressa os sentimentos dessa jornada pela feira central de Campina Grande, que é consirada patrimônio histórico cultural imaterial brasileiro pelo IPHAN. DESEJO E NECESSIDADE conta ainda com trilha sonora do conjunto de câmara paraibano QUINTETO DA PARAÍBA e com o verso inicial e que dá nome ao filme por CHICO CÉSAR.

Dança para um poema, 2022, LONDRINA/PR, 5 min
Dança para um poema 1.jpg

Direção e intérprete-criadora: Paula Stricker Lima
Produção: Vinicius Matos Gimenez

“Em transbordamento ela mergulhou o mais fundo que pôde. No desespero da esperança a desesperança cessou. Quem inundada foi, pede hoje, a liberdade para existir.” Esse trabalho foi desenvolvido a partir da pesquisa de poemas colhidos em pontos de escuta na cidade de Londrina, e busca traçar caminhos entre Dança e Palavra, interligando, de forma poética, as composições textuais com os movimentos de um corpo, presente, que dança, cria e sente, dando expressão às vozes que se revelam presentes.

Pequenos [des]ajustes do corpo, 2020, SÃO PAULO/SP, 13 min
Trailer
body's small (mis)fits 1 Pequenos_desajuste2_still_de_video_THAIS_TAVERNA.jpg

Direção e performance: Mariana Sucupira e Maristela Estrela
Direção de fotografia e câmera: Thaís Taverna
Assistente de câmera: Fernanda Faya
Coordenação de produção: NCD e Thaís Taverna
Produção: Marina Duarte
Edição e mixagem: Mariana Sucupira
Figurino: Maristela Estrela
Som direto: Glaydson da Silva Mendes
Gaffer: Alexandre Henrique Silva
Maquiagem: Junior Branco

Duas mulheres se deslocam por entre móveis de um antiquário, criando aderências temporárias aos objetos e uma à outra. Brincam com a gravidade que age sobre seus corpos, subtraindo o peso das coisas. Diferentes modos de não caber, ou tentativas de escapar ao descabimento do corpo em percursos e escaladas improváveis, onde o tempo é dilatado ou acelerado. Uma realidade friccionada pelo “olhar da câmera”, entre ações e gestos, móveis e objetos que se repetem.

DANCE, 2019, CURITIBA/PR, 3 min
DANCE 9 Filme_dance-85.jpg

Direção: Ana Marinho, Tiago Valério
Produção: Fabi Tombely, Sheurily Costa, Duane Kurten
Coreografia: Rafa Pontes
Elenco: Rafa Pontes
Música: Sketch #29 Andy Othling / Soul to Soul - Teo
Direção de Fotografia: Marcos Negherbon

 DANCE é um projeto com o objetivo de expor questões e diálogos sobre a materialidade dos corpos femininos.

O filme fala sobre a dicotomia entre liberdade e aprisionamento do ser humano.

Ao mesmo tempo, DANCE fala sobre habitar esse corpo limitado na materialidade dessa existência e viver essa experiência por meio de trocas intersubjetivas e simbólicas.

DANCE também se propõe a falar sobre os conceitos que o machismo apontam, principalmente, para o corpo feminino.